Pterígeo com Transplante Conjuntival Autólogo e Cola de Fibrina

O Pterígeo é uma membrana carnosa que avança sobre a córnea mais frequentemente no canto interno do olho. É uma resposta a um processo de irritação ocular crônica, em que a exposição a fatores ambientais, sobretudo a luz solar, tem papel importante.

Costuma causar vermelhidão, lacrimejamento, coceira, ardor e sensação de corpo estranho.

O tratamento para casos pouco sintomáticos ou de pequena extensão costuma ser apenas com colírio lubrificante, compressas frias e proteção da luz solar com óculos de sol.

Quando o incômodo é muito acentuado e persistente ou se o pterígeo continua a crescer e se aproxima do eixo visual causando distorções na visão, costuma-se recomendar a sua remoção.

O procedimento deve ser sempre associado ao transplante conjuntival autólogo, onde se retira um fragmento de conjuntiva saudável do olho do próprio paciente para recobrir a região em que o pterígeo se encontrava.

Este procedimento diminui sobemaneira a chance de recidiva do pterígeo, que em pacientes jovens pode ocorrer em até 50% dos casos.

A utilização de cola biológica de fibrina ao invés de pontos propicia uma recuperação mais confortável e um melhor aspecto estético final.

Assista o vídeo explicativo: